Diego Farah


16/07/2018

Universidade é condenada por demora em expedição de diploma

Para turma recursal, instituição de ensino foi negligente. A 2ª turma Recursal do Sistema dos Juizados Especiais do AC julgou improcedente o recurso formulado pela Unip e manteve a condenação da instituição de ensino ao pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 5 mil por demora na expedição de diploma. Para o colegiado, a instituição foi negligente. O estudante ajuizou reclamação requerendo a condenação da Unip à expedição compulsória de diploma de conclusão do curso de enfermagem após a demora da instituição na emissão do documento. Ele alegou que devido à falta do diploma perdeu diversas oportunidades de emprego e concursos e esteve até mesmo sujeito a perder registro provisório no Conselho Regional de Enfermagem do Estado do Acre (Coren/AC). Embora a instituição tenha procedido à entrega do diploma administrativamente durante a tramitação do processo, o pedido de indenização por danos morais foi julgado procedente pela juíza de Direito Lilian Deise, titular da unidade judiciária, que condenou a Universidade ao pagamento da quantia de R$ 5 mil. Inconformada com a decisão, a Unip interpôs recurso. O juiz de Direito José Augusto, relator do caso, no entanto, rejeitou as alegações da instituição de ensino. Para ele, o dano moral sofrido pelo autor “é evidente, diante da espera injustificada por três anos, havendo relato de várias oportunidades profissionais perdidas”. Segundo ele, também restou comprovada a negligência da instituição de ensino na demora na emissão do diploma, uma vez que o documento foi expedido administrativamente após a judicialização do conflito. "A universidade, que primeiro alegou burocracia e depois falta de documentos legíveis para a entrega do diploma, depois o juntou aos autos, demonstrando ter havido efetiva negligência". José Augusto também considerou o valor estipulado na sentença "adequado e proporcional à relação entre as partes e o fato, capaz de bem atender aos critérios de sanção, reparação e pedagogia”. Por fim, o relator votou pelo não provimento do recurso, no que foi acompanhado, à unanimidade, pelos demais juízes que compõem a 2ª turma Recursal. http://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI213669,91041-Universidade+e+condenada+por+demora+em+expedicao+de+diploma



Diego Farah
© Copyright 2012 Luiz Infante Advogados Associados - Todos os direitos estão reservados.